domingo, 10 de junho de 2012

A Participação do Brasil na Primeira Guerra Mundial



Em Abril de 1917, forças Alemãs atacaram o navio Paraná próximo ao Canal da Mancha. Logo após seis meses, o encouraçado Macau também foi atacado. A população brasileira indignada passou a cobrar por uma resposta contundente das autoridades brasileiras. O presidente da época,  Venceslau Brás, havia feito uma aliança com a Tríplice Entente (Estados Unidos, Inglaterra e França), com o intuito de se opor a Tríplice Aliança formada pelo Império Austro-húngaro, Alemanha e o Império Turco-Otomano.

Podemos dizer que, mesmo com um grande poder bélico, a participação do Brasil na primeira guerra foi muito tímida. O governo do Brasil enviou Pilotos de aviões, ofereceu navios e médicos a seus aliados.
Com o intuito de proteger o Atlântico, sete embarcações brasileiras foram utilizadas (dois cruzadores, quatro contratorpedeiros e mais um navio auxiliar), onde suas tripulações foram assoladas pela gripe espanhola que ocorria na época. A participação mais importante e significativa do Brasil foi no envio de um grupo para lutar ao lado dos franceses e britânicos.

Os brasileiros tiveram participação nos conflitos das tropas da frente ocidental e na região da Jutlândia. O mais conhecido caso de participação brasileira se refere ao militar José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque. Relatos contam que este militar foi responsável pelo comando de pelotões de cavalaria francesa e uma pequena unidade de tanques. A experiência por ele adquirida abriu portas para que, logo em seguida, o Brasil adquirisse seus primeiros carros blindados.

O apoio brasileiro teve muito mais presença com o envio de suprimentos agrícolas e matéria-prima procurada pelas nações em conflito. No Brasil, a Primeira Guerra teve implicações significativas em nossa economia. A retração econômica sofrida pelas grandes nações industriais europeias abriu portas para que o parque industrial se desenvolvesse.


Ao final da guerra, o Brasil participou da Conferência de Paz que resultou no Tratado de Versalhes em 1919 onde o país conseguiu ficar com os navios alemães aprisionados e ainda conseguiram a liberação dos depósitos bancários, feitos em 1914 com a venda de café, que estavam retidos na Alemanha.


Os benefícios da Primeira Guerra para a economia brasileira:

Durante os quatro anos da Primeira Guerra, os países europeus envolvidos no conflito voltaram a produção de suas indústrias para a fabricação de armamentos e equipamentos para os soldados. Desta forma, O Brasil ficou sem opções para importar produtos manufaturados da Europa. Ricos cafeicultores brasileiros, aproveitaram o momento e investiram capital acumulado nas indústrias, favorecendo assim a industrialização do Brasil. 
O Brasil também lucrou muito exportando matérias-primas para os países em guerra como, por exemplo e principalmente, a borracha. Também exportou muitos produtos agrícolas (café, cacau e açúcar).



2 comentários:

  1. Obrigado!
    me ajudou muito, porém esse artigo não foi muito direto e faltou dados.

    ResponderExcluir